Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Sem título

Sábado, 08.09.07

Ando às voltas com as palavras como se houvesse tempestade

parece que tropeço nas ideias

ah ! mas que agonia esta

surgem-me imagens desfocadas do que quero tanto esquecer

alguém me chama e não respondo

não quero

calo as palavras

sufoco-as no peito quente de dor

quero o adeus para não voltar

quero trancar o tempo

e enlaçar outros desejos

outros sonhos

quero-me a quebrar este silêncio

voltar aos dias habitados

de risos ao sol

de noites ternas e serenas

de mãos cheias de lua

não quero

tropeçar nas palavras

e voltar a esta tempestade e agonia

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 23:29


11 comentários

De Ginebra a 09.09.2007 às 00:11

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

Eugénio de Andrade

Adoro este poema! Partilho-o contigo.

De mmpc a 09.09.2007 às 14:25

continua...a poesia faz-nos sonhar...e a sonhar podemos voar...
obrigada por estes voos
(se te for possível dá um salto ao meu blog, eu respondi a um desafio que me fizeram...talvez tb o queiras fazer)

De dolce_vita a 12.09.2007 às 15:20

Apesar de me encontrar ainda na agonia das palavras atiradas para aqui...o seu poema ,a sua força parece-me ter-me aberto um esgar de esperança.O meu muito obrigada.Acredito sempre e incondicionalmente na partilha.
RS

De crescer_e_aprender a 09.09.2007 às 15:24

Como sempre um poema lindissimo :D

Se puder de um salto ao meu blog, tenho um desafio para si. Um beijinho

De devoltaoutravez a 09.09.2007 às 16:51

obrigado por o partilhares, em todos os sentidos o sentimos!

De Palavras Adiadas a 10.09.2007 às 09:54

Gostei muito do que li. Escrever, é mostrar aquilo que vai dentro de nós. Mágoas, angústias e alegrias, tudo serve para nos fazer, por vezes, escrever coisas maravilhosas. Continua! Parabéns.
Até sempre!!!

De daplanicie a 10.09.2007 às 10:39

Um belo poema que fala do interior da alma. Parabéns!

De Zita a 10.09.2007 às 15:14

Alguma tristeza e desilusão pairam nestas palavras.

De blogando-me1 a 10.09.2007 às 15:44

Gostei muito deste teu poema. Esta escrito com sentimento, com o melhor que te vai na alma. Virei cá mais vezes.
Bjs fofos

De princesa_de_cristal a 11.09.2007 às 14:49

Olá. Gostei imenso do poema. Quem me dera ser possível sair da tempestade q tenho na minha vida... E, mais uma vez, obrigada pelas palavras que deixou no meu blog. Um beijinho

De estreladosul a 11.09.2007 às 20:20



Lindo Cara amiga. Muita tristeza e impotencia. Nao te cales, grita bem alto o k te vai na alma. Por vezes temos agradaveis surpresas kuando nos afirmamos.

Bjinho amigo

Mário Rodrigues

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2007

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30